Freqüência Saúde: Saúde mental

A Organização Mundial da Saúde (OMS) não tem uma definição exata do que é ser mentalmente saudável, mas afirma que qualquer pessoa pode desenvolver algum tipo de transtorno. A saúde mental é o tema de abertura da série de programas denominada Frequência Saúde, produção dos alunos da turma de 2014 de Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo da Universidade Federal do Pará.

Mudanças bruscas como a entrada na escola, a transição para adolescência, velhice e outros acontecimentos nem sempre previsíveis, mas que sejam associados ao estresse e nervosismo, possibilitam o desequilíbrio mental. Comumente, as pessoas que sofrem deste mal são incompreendidas e excluídas da sociedade. Há quem acredite no fruto da imaginação ou que a causa esteja relacionada à pouca inteligência das pessoas atingidas, e até mesmo que elas sejam preguiçosas, previsíveis e ameaçadoras.

A psicóloga Liliana Carvalho explica que todos nós enfrentamos situações de adversidade. O que diferencia uma pessoa mentalmente saudável de outra com desequilíbrio é a relação que estabelecemos com os problemas. Quando nos sentimos incapacitados de superá-los, o corpo reage à ausência de força do campo psicológico. “A maneira como pensamos e agimos determina se vamos ter saúde (mental) ou não”, afirma.

Uma sociedade equilibrada reflete na economia dos países. Um estudo do Banco Mundial e da OMS apontou que melhorar a qualidade de vida de quem sofre com transtorno mental contribui com o desenvolvimento do setor econômico, pois pessoas saudáveis produzem mais e melhor. A pesquisa demonstrou que, para cada um dólar investido em tratamento de indivíduos com transtornos mentais, o retorno é de 4 dólares.

Saiba mais sobre saúde mental ouvindo o Frequência Saúde nos seguintes dias e horários:

  • Quarta-feira (01/11) – 13h e 22h;
  • Sexta-feira (03/11) – 13h (reprise);
  • Sábado (04/11) – 09h (reprise).
Compatilhe !

Id:2626