Violência urbana

Nesta edição do UFPA Debate discutimos os desafios da nova gestão do Governo do Pará para enfrentar a violência urbana.

No cotidiano brasileiro, as cenas de violência são cada vez mais comuns e provocam receio e medo na população que passa a viver uma rotina de insegurança. Nas regiões Norte e Nordeste a realidade não é diferente. 

Segundo levantamento do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA) divulgado em 2016, o Pará tem uma taxa de 50 homicídios a cada 100 mil habitantes, índice que segundo a Organização Mundial da Saúde caracteriza um cenário de violência epidêmica.

As elevadas taxas de assassinatos aqui no Estado são consequências também dos constantes assaltos, sequestros e execuções presenciadas em bairros mais vulneráveis socioeconomicamente da capital, como Terra Firme, Jurunas, Barreiro, entre outros.

Para discutir a violência urbana e os desafios para a segurança pública no Pará, convidamos a delegada Silvia Rego, representando a Secretaria de Segurança Pública, como titular da Diretoria de Prevenção Social da Violência e da Criminalidade. Convidamos também o professor Aiala Colares, pesquisador de geografia com ênfase na discussão da geopolítica do crime em Belém. Recebemos, ainda, Iranilde Russo, fundadora do Movimento pela Vida, que reivindica paz e justiça para as vítimas de crimes na capital paraense.

Um dos pontos em destaque no programa é a atuação do tráfico de drogas, das milicias e facções criminosas no Pará, em especial na Região Metropolitana de Belém. De acordo com o pesquisador Aiala Colares, a ausência do Estado contribui para o aumento do poder dessas organizações que, em nome do crime, se tornam autônomas e passam a ditar regras em determinadas áreas, onde a comunidade vive sob a lei do silêncio e do toque de recolher.

Além disso, os convidados tratam de medidas que possam contribuir com a segurança pública. Para eles, a repressão policial por si só não garante a redução da violência. Uma realidade que poderá ser transformada somente por meio da parceria entre Estado e sociedade civil, privilegiando, principalmente, maiores investimentos nas áreas da educação, da cultura, do lazer, e, ainda, oferecendo melhores oportunidades de emprego e renda para a população.

Para saber mais sobre o enfrentamento da violência urbana no Pará, fique sintonizado na Rádio Web UFPA, a rádio que divulga conhecimento.

Apresentação: Elissandra Batista
Produção e roteiro: Gabriel Souza
Gravação e montagem: João Nilo Ferreira
Supervisão e edição: Elissandra Batista e Fabricio Queiroz
Foto: Marcelo Lélis / Agência Pará

O UFPA Debate vai ao ar segunda-feira, às 10h e 21h.
Horários alternativos: Quarta-feira, às 19h; e sábado, às 11h.

Compatilhe !

Id:5524