ERE na UFPA

Ensino Remoto Emergencial

A Rádio Web UFPA retoma a veiculação de programas inéditos com uma edição especial do programa UFPA Ensino, em novo formato. Neste programa, trazemos uma entrevista com o reitor da Universidade Federal do Pará, Emmanuel Tourinho, para falar sobre o retorno das atividades de ensino da UFPA por meio do Ensino Remoto Emergencial.

Após cinco meses de suspensão das atividades presenciais por conta da Pandemia de Covid-19, o Conselho Superior de Pesquisa, Ensino e Extensão da UFPA (Consepe) aprovou a oferta de Ensino Remoto Emergencial, também chamado pela sigla ERE. Nesta edição especial do UFPA Ensino, o reitor Emmanuel Tourinho esclarece o funcionamento do regime diferenciado, os motivos para a retomada das atividades de ensino e as medidas para garantir aos discentes em condições de vulnerabilidade social o acesso à esta modalidade de ensino.

O reitor esclarece que a Universidade Federal do Pará não paralisou completamente suas atividades durante este período, e vem adotando medidas para adaptar sua rotina tanto no sentido de prestar contribuição no enfrentamento à pandemia e seus efeitos, quanto no sentido de minimizar as consequências sobre sua comunidade acadêmica e também sobre a sociedade em geral, a quem serve sua atividade. “A UFPA tem estado muito ativa ao longo de todo esse período da Pandemia do Novo Coronavírus. Nós suspendemos apenas as atividades de ensino presenciais, mas estamos atuando em muitas frentes. Nós temos estado bastante ativos. o que, aliás, é a regra das universidades federais do Brasil”, declarou o reitor.

Diante do período prolongado de suspensão das atividades presenciais de ensino e a ausência de previsão de sua retomada em condições ideais de biossegurança para a comunidade acadêmica, as universidades federais defrontam-se com problemas como o aumento da taxa de evasão, exigindo atenção e diligência da gestão para não contribuir com o aprofundamento de desigualdade já observado no cenário social de nosso país no contexto de pandemia.

“A Universidade, ela existe, também, para dar oportunidade para todos os jovens, de acesso à educação superior e, com isso, contribuir com o enfrentamento da desigualdade e da exclusão”, analisa. Emmanuel Tourinho, então, aponta como principal fundamento para a retomada das atividades por meio do ERE, o restabelecimento do vínculo acadêmico, especialmente dos discentes mais carentes que, diferente daqueles com melhores condições financeiras, estão com seu processo formativo totalmente suspenso.

Sobre as especificidades do ERE, o reitor esclareceu diversos pontos acerca do formato de oferta de componentes curriculares que vem sendo a aposta das universidades federais de todo o país e que está previsto para ser aplicado na UFPA no período de 14 de setembro de 2020 a 28 de fevereiro de 2021.

Sobre o acesso universal dos discentes ao ERE, o reitor apresentou as medidas de promoção da inclusão digital que visam garantir a todos os discentes as condições para retornar às atividades de ensino por meio do ERE. A primeira, em parceria com o Ministério da Educação, presta recursos para aquisição de pacotes de dados, para que o aluno possa usar a internet com tráfego de dados suficiente para acompanhar as aulas e demais atividades. Já o segundo auxílio é voltado para que o aluno adquira um equipamento (computador, tablet, etc) para o acesso à internet.

“Este é o esforço que estamos fazendo na inclusão digital e que, certamente, vai possibilitar que muitos, uma enorme parcela desses discentes que hoje estão completamente afastados e estão vendo a desigualdade aumentar, possam se reintegrar ao ambiente formativo da Universidade”, avaliou.

O reitor explicou, ainda, que nenhum discente é obrigado a cursar os componentes ofertados no Ensino Remoto Emergencial. Diante da situação excepcional, o discente pode experimentar o formato e, caso não se adapte, poderá cancelar a matrícula a qualquer tempo, sem prejuízo ao seu rendimento e sendo garantida a oferta de todos os componentes na modalidade presencial quando da plena retomada das atividades. “A faculdade decide o que ela vai ofertar, o aluno escolhe o que ele gostaria de cursar. Ele pode, inclusive, escolher não cursar nenhum componente. Ele não será prejudicado se ele não optar fazer nenhum componente”, explicou Emmanuel Tourinho.

Sobre a interação entre discentes e docentes, o reitor apresentou os formatos das atividades, que serão divididas em síncronas, com a interação simultânea entre professor e aluno e assíncronas, aquelas em que as atividades podem ocorrer em tempos diferentes.

Além disso, Emmanuel Tourinho abordou como vem ocorrendo a preparação da comunidade acadêmica para a o desenvolvimento das atividades do ERE, em que o Núcleo de Inovação e Tecnologia Aplicadas a Ensino e Extensão (NITAE²), em parceria com a PROEG e a PROGEP, via Capacit, oferta cursos e oficinas para formação de discentes, docentes e servidores técnico-administrativos para esta modalidade de ensino.

Para o reitor, o principal desafio para implantação e funcionamento do ERE é a desinformação, que faz com que o Ensino Remoto Emergencial seja confundido com Educação à Distância. Porém, em um contexto de incertezas configurado pela Pandemia do Novo Coronavírus, é indispensável concretizar o papel da universidade pública neste cenário, contemplando seus compromissos, especialmente com a transformação social.

“Nós entendemos que, nesta conjuntura, o melhor a fazer é este esforço para trazer de volta, para manter a universidade ativa na sua função de ensino, já que ela permanece ativa na suas outras demais funções. Eu tenho a convicção de que estamos fazendo a coisa certa, de que estamos ajudando a fortalecer a UFPA como universidade pública. Estamos fazendo o melhor a ser feito para que esta instituição continue cumprindo a sua missão na sociedade, continue tendo o respeito que tem de toda a população”, avaliou o reitor.

Rádio Web UFPA mantém a prevenção

Para retomar a produção de programas inéditos, a Rádio Web UFPA adaptou a rotina de produção, adotando medidas necessárias à prevenção do contágio pelo novo coronavírus.

Enquanto perdurar o cenário de pandemia, nossos programas inéditos serão gravados em forma de entrevista feita por telefone, o que compromete a qualidade dos áudios, porém, resguarda a saúde e a vida de nossa equipe e nossos convidados.

Para saber mais sobre o Ensino Remoto Emergencial (ERE), você pode acompanhar a edição especial do UFPA Ensino.

Apresentação: Elissandra Batista
Produção e roteiro: Fabrício Queiroz e Susan Santiago
Gravação e montagem: João Nilo Ferreira
Supervisão e edição: Elissandra Batista e Fabrício Queiroz
Foto: Alexandre de Moraes (Ascom UFPA)

O UFPA Ensino vai ao ar às quartas-feiras, às 10h e 21h.
Horários alternativos: Sexta-Feira, às 19h e sábado, às 22h.

Compatilhe !

Id:7527