Gênero e Sexualidade na Educação

Você sabe o que é gênero? E sexualidade? Como será que os jovens de hoje discutem esse assunto? Será que as escolas colocam esse debate dentro das salas de aula? Mas esse é um debate que deve ser feito em âmbito acadêmico ou cabe à família orientar os jovens quanto a isso?

Respondendo a essas e outras perguntas, o programa UFPA Ensnio dessa semana vem abordar o tema Gênero e Sexualidade na Educação. Para falar sobre o assunto, o jornalista Fabrício Queiroz conversou com a doutoranda em educação da UFPA e vice-líder do grupo de pesquisa TRANSVERSALIZANDO, a professora Vilma Brício. Além dela, recebemos também Milton Ribeiro, que veio representando o Grupo Orquídeas, que atua na UFPA no âmbito das lutas pela diversidade; e a doutora em Antropologia pela UFPA e líder do Grupo de Pesquisa de Gênero, Sexualidade,Educação e Gerações da UEPA (Genseg), a professora Ana Lídia Nauar.

Durante o programa foram abordados pontos como homofobia, machismo e violência. A professora Vilma Brício conta um pouco da sua história de vida durante o programa. Ela relata alguns preconceitos que sofreu durante sua infância e juventude pelo fato de ser mulher, e também conta relatos de preconceitos que presenciou ao longo de sua vida profissional, o que fez com que ela, que já era professora, decidisse trabalhar nessa área da luta pela diversidade.

Também na luta pela diversidade está o Grupo Orquídeas da UFPA (Movimento Universitário em Defesa da Diversidade Sexual), que na definição de Milton: “é um grupo de militância, de pesquisa não vinculado institucionalmente a nada”. Milton relata que desde 2007, o Orquídeas buscou sempre dar visibilidade a questões de gênero e à diversidade sexual, mas ainda enfrenta um grande desafio. “Era um grupo formado de estudantes preocupados em levar esse discurso para os cursos. (…) Um dos grandes problemas enfrentados no inicio foi por conta da falta, da ausência de orientação qualificada de professores com formação qualificada para orientar pessoas na discussão desse tema”. Apesar disso, o Grupo Orquídeas considera positiva a inserção desse debate em cursos como a Enfermagem e o Direito por meio dos trabalhos de conclusão de curso dos integrantes.

Já a professora Ana Lídia, mostra como esse tema é tratado dentro da UEPA. Ela conta sua experiência como professora da universidade estadual onde deu aula para alunos do curso de Pedagogia. Ela conta que observou a preocupação dos alunos com a questão da Educação Sexual, pois estes não sabiam como intervir na vida do aluno quando se tratava desse tema. “Era uma demanda muito forte (…) isso chama a atenção da não preparação dos professores, da falta de profissionais na licenciatura que tenham esse conhecimento”, ressalta.

Para conhecer mais sobre o assunto, ouça o programa e acesse: grupogenseg.blogspot.comorquideagrupo.blogspot.com e grupotransversalizando.blogspot.com

Compatilhe !

Id:236