Pedagogia Decolonial na Amazônia

Pedagogia Decolonial

Nesta edição do UFPA Ensino o tema é Pedagogia Decolonial. Participam do programa os pesquisadores Waldir Abreu (UFPA), João Colares (UEPA), o doutorando Alder Dias (UFPA) e a mestranda Shirley Barbosa (UEPA).

De acordo com o professor João Colares a decolonialidade significa “uma energia de descontentamento, uma reação aos processos de opressão perpetrados pela modernidade e colonialidade”. Sobre o tema do programa, o professor afirma que são várias as pedagogias decoloniais, que são formas de ensinar e aprender e modos de sociabilidade distintos daqueles herdados pelo colonialismo e pela colonialidade.

A partir das pedagogias decoloniais, o doutorando Alder Dias destaca a necessidade de desconstruir o modo como se compreende o aluno, e a partir daí reavaliar as práticas escolares e o próprio currículo. “O aluno não é um ser sem luz. Percebe-se o aluno como sujeito, como vítima, e também um ser com todo o potencial de realização e libertação”.

Há mais de 15 anos, o professor Waldir Abreu trabalha com a educação ribeirinha e educação do campo. Ele afirma que ao longo dos anos percebeu que esses grupos levam para dentro da escola suas demandas a ponto da escola entender que precisa estar assentada em um modelo educativo que atenda às demandas da comunidade. “São comunidades quilombolas, indígenas, ribeirinhas, do campo que há muito tempo vêm lutando por direito à terra, por direito à saúde, por direito à educação, e se organizam enquanto comunidades e essas práticas de organização de luta e de resistência vão para o âmbito da escola”.

A mestranda Shirley Barbosa pertence à comunidade quilombola de Vilanhão Campina em Salvaterra. Sua proposta de pesquisa é investigar como a tradição oral de matriz africana vai se constituir dentro de uma pedagogia decolonial. Segundo a pesquisadora, “me reconhecer falando da minha comunidade dentro da Universidade pra mim já é decolonial”.

Conheça também a rede de pesquisa sobre pedagogias decoloniais na Amazônia que engloba várias instituições na região. Segundo o professor João Colares o objetivo é estabelecer um protocolo de cooperação entre os pesquisadores da Amazônia, uma vez que por muito tempo valorizou-se bastante a produção do resto do país em detrimento da nossa região. “É preciso fortalecer a produção do conhecimento na Amazônia e a gente entende que esse fazer em rede é uma estratégia interessante para que nós possamos nos ver mais, para que nós possamos compartilhar as nossas experiências e aprendermos uns com os outros”, declara.

No programa os convidados discutem as contribuições de Paulo Freire, a relação professor e aluno, os currículos, os processos avaliativos, o planejamento, a participação da comunidade escolar e outras questões à luz das pedagogias decoloniais e de suas relações com os movimentos sociais na América Latina.

Apresentação, produção e roteiro: Erlane Santos
Gravação e montagem: João Nilo Ferreira
Supervisão e edição: Elissandra Batista e Fabrício Queiroz
Foto: reprodução Internet.

O UFPA Ensino vai ao ar às quartas-feiras, às 10h e 21h.
Horários alternativos: Sexta-feira, às 19h, e sábado, às 21h.

Compatilhe !

Id:6131