Lúcia Maria Costa e Silva, pioneira das Geociências

Uma das maiores referências da geofísica no Brasil participa desta edição do UFPA Entrevista. A geóloga Lúcia Maria Costa e Silva tem uma trajetória marcada pelo pioneirismo nas geociências e pelo forte impacto social das pesquisas que conduz.

No início de carreira, na década de 1970, foi impedida de participar de estágios, entrevistas de emprego e atividades de campo por ser mulher. Entre outros fatos, ela relembra que estava no avião com destino a Serra Pelada, quando a Polícia Federal ordenou ao piloto que retornasse porque a entrada de mulheres no garimpo era proibida. Mesmo assim, ela se tornou a primeira mulher a trabalhar e pernoitar em Serra Pelada, no auge da exploração de ouro na região.

Na década de 1990, investigou os índices de radioatividade nas residências próximas a uma das maiores ocorrências de urânio no Brasil, em Monte Alegre (PA). No programa, Lúcia Maria Costa e Silva explica os perigos da exposição e como o quadro mudou após os estudos na área. Já em Belém (PA), atuou em casos de contaminação de aquíferos provenientes de cemitérios e postos de combustíveis. Diversas famílias foram afetadas porque os poços de abastecimento de água estavam contaminados. Atualmente, o cemitério do Benguí está fechado, mas a pesquisadora defende a recuperação da área em benefício da população, e explica como isto pode ser feito.

Em 2014, após mais de 30 anos trabalhando como professora da UFPA, retornou ao Serviço Geológico do Brasil, antiga CPRM, e lá continua desenvolvendo trabalhos pioneiros com geofísica forense, além de investigar o afundamento do bairro Pinheiro em Maceió (AL).

Para a professora Lúcia Costa e Silva, as mulheres foram colocadas ao longo do tempo em uma posição que não as permitia assumir e fazer vários trabalhos. No entanto, ela defende que é necessário avançar em busca de um mundo melhor onde haja respeito entre os sexos e qualquer outra condição sexual. No programa, a professora deixa uma mensagem especial para as mulheres. “Nunca percam as esperanças de conseguir o que vocês querem atingir. É tudo uma questão de insistência e foco. Competência, as mulheres têm demais”.

Conheça mais sobre a trajetória da pesquisadora Lúcia Costa e Silva e saiba mais sobre as contribuições que o avanço da geofísica pode proporcionar para a sociedade nesta edição do UFPA Entrevista.

Apresentação, produção e roteiro: Erlane Santos
Gravação e montagem: João Nilo Ferreira e Karla Guimarães
Supervisão e edição: Elissandra Batista e Fabrício Queiroz

O UFPA Entrevista vai ao ar todas as segundas-feiras e quartas-feiras, às 15h, e nas terças e quintas às 19h.

Compatilhe !

Id:5654