UFPA suspende atividades para prevenir coronavírus

A Universidade Federal do Pará suspendeu as atividades acadêmicas e administrativas presenciais em todos os campi de 19 de março até 12 de abril de 2020. A medida tem caráter preventivo e segue as recomendações do Grupo de Trabalho sobre o Novo Coronavírus instalado na UFPA.

Em coletiva de imprensa, o reitor da Universidade, Emmanuel Tourinho, falou que a decisão foi baseada em avaliações do cenário regional e nacional de avanço da doença. “O que motivou a decisão da nossa instituição foi esse aumento acelerado de número de casos no país, a ocorrência dos primeiros casos na região Norte, e o entendimento de que é muito provável que o vírus já esteja circulando em nosso estado, ainda que não tenhamos casos confirmados; e também o entendimento de que a Universidade Federal do Pará deve atuar preventivamente, inclusive se preparar para prestar uma melhor assistência à população ao longo dessa epidemia”, disse o professor que espera que a comunidade acadêmica permaneça em casa e evite aglomerações.

Outras instituições de ensino também determinaram a suspensão de atividades, mas por um período menor. Contudo, na avaliação da professora e infectologista Rita Medeiros, que preside o GT sobre o Novo Coronavírus na UFPA, o prazo maior adotado permite uma análise melhor do cenário de circulação do vírus e dos riscos que ele representa à comunidade.

“Não tem ainda comprovação laboratorial da circulação do vírus, então uma semana não seria suficiente. Se surgir casos amanhã ou depois, essas outras universidades vão rever o seu calendário. Uma semana certamente não é o suficiente. Por isso que a gente já previu, estava entre três semanas e um mês e como há uma projeção de que no Sul e Sudeste os casos aumentem nos próximos dois, três meses, então, provavelmente a gente precise ampliar esse tempo em função do que estaremos vivendo daqui a três semanas”, disse.

Além das aulas de graduação e pós-graduação, e das atividades administrativas, também ficam afetados os serviços como o Restaurante Universitário e a Biblioteca Central. Os projetos de extensão de atendimento à comunidade devem analisar a possibilidade de prosseguir as atividades, caso haja condições de segurança para professores, estudantes e a população.

O funcionamento dos serviços de saúde oferecidos nos hospitais universitários e também de projetos de pesquisa que contribuem para o avanço do conhecimento sobre a pandemia continuam normalmente. O Hospital Barros Barreto, por exemplo, é referência regional na área de infectologia e já está preparado para atender possíveis pacientes, principalmente pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

O Barros Barreto está preparado, inclusive, com plano de contingenciamento do vírus. Nós temos tudo traçado. Temos fluxograma, temos leitos disponíveis. Não temos ainda nenhum caso confirmado, a partir de que tenha nós então vamos também trabalhar emergencialmente”, afirmou a doutora Regina Feio Barroso, superintendente do Complexo Hospitalar da UFPA.

Mais informações sobre o cenário epidemiológico no Pará e outras orientações para combater a propagação da doença, você encontra no site coronavirus.ufpa.br.

Compatilhe !

Id:7488

  • José Serrão

    Excelente a visão em Saúde Segurança e Meio Ambiente da UFPa