Encenações do erótico no cinema de Cláudio Assis

O assunto é o tema da pesquisa de doutorado intitulada “Trilogia do corpo: encenações do erótico grotesco no cinema de Cláudio Assis”.  O trabalho é do professor Luiz Guilherme dos Santos Júnior, do campus da UFPA no município de Breves, no arquipélago do Marajó.

Durante o programa, o pesquisador, que faz doutorado em Comunicação Social na PUC, conta que o estudo da temática surgiu das inquietações sobre a encenação do corpo no cinema brasileiro contemporâneo.

De acordo com o professor Luiz Guilherme, nas produções cinematográficas de Cláudio Assis, o erotismo é abordado de forma exacerbada e o corpo exposto tem uma dimensão grotesca, dissonante e questionadora da forma tradicional utilizada no cinema.

Com origem profissional no teatro, Cláudio Assis é integrante das caravanas de Recife. Ganhou espaço na cena cinematográfica local produzindo pequenos documentários com foco nos movimentos culturais.

Depois amadurece e realiza filmes como Amarelo Manga, Bastio das Bestas e Febre do Rato. Essas obras formam, segundo o professor Luiz Guilherme, a trilogia do corpo, encenado como erótico, grotesco e transgressor.

Na pesquisa, Luiz Guilherme aborda também a diferença entre os processos de encenação no cinema e no teatro. O objetivo é entender as características de cada um, a partir da genealogia do teatro e do diálogo com o cinema que surge no final do século XIX.

Compatilhe !

Id:594