Assistência e Prevenção das Disfunções na Coluna Vertebral

“Assistência e Prevenção das Disfunções na Coluna Vertebral”

UFPA Comunidade

Rádio Web UFPA

Assistência e Prevenção das Disfunções na Coluna Vertebral é o projeto de extensão em destaque nesta edição do UFPA Comunidade. O trabalho da Faculdade de Fisioterapia da UFPA estuda os efeitos do tratamento fisioterápico em pessoas com dor lombar crônica. Sobre a ação, que presta atendimento gratuito para a comunidade universitária e também para o público externo, a jornalista Elissandra Batista conversa com o professor Maurício Magalhães, fisioterapeuta que coordena o projeto, e, também, com a bolsista  Ana Favacho, estudante de fisioterapia.   

No programa, o professor Maurício reforça que a coluna vertebral é uma estrutura crucial para o corpo humano, por fornecer sustentação e proteção à medula espinhal, além de permitir a mobilidade. Por isso, as disfunções na coluna vertebral são marcadas por dores provocadas por diversas causas, incluindo má postura até doenças degenerativas. A Sociedade Brasileira de Estudo da Dor aponta que, pelo menos, 37% da população, ou seja, 60 milhões de pessoas relatam sentir dor crônica, aquela que persiste por mais de três meses.

“Geralmente, o paciente só procura a fisioterapia quando a dor está acentuada e atrapalhando em algum aspecto da vida, como na qualidade do sono, a produtividade do trabalho, as tarefas diárias. Então, é recomendável procurar o atendimento fisioterapêutico antes que as dores passem a ser crônicas e incapacitantes”, alerta o professor Mauricio Magalhães.

No projeto Assistência e Prevenção das Disfunções na Coluna Vertebral, o foco são pessoas com lesões na coluna vertebral como a hérnia de disco, que acomete cerca de 5 milhões de pessoas, em todo o Brasil. Mas há também casos em que as dores são consideradas inespecíficas e representam 95% dos casos de dores na coluna, com maior possibilidade de tratamento e reversão da funcionalidade da coluna, por meio de medicamentos e fisioterapia.

“Pessoas que são altamente estressadas, ansiosas e que têm depressão, por exemplo, ficam emocionalmente dependentes. E isso acaba sendo traduzido pelo corpo como dor, mesmo que a pessoa não tenha nenhuma patologia na coluna ou no corpo. Por isso, 95% dos casos são dores inespecíficas, ou seja, as pessoas não têm nenhuma lesão tecidual no corpo e mesmo assim sentem dores intensas”, explica o professor Mauricio Magalhães.

Para identificar as causas das dores e recuperar a qualidade de vida, a estudante de fisioterapia Ana Favacho ressalta a importância da fisioterapia. Isso porque mesmo sendo uma profissão de primeiro contato, por questões culturais, a sociedade ainda tende a procurar primeiro outros profissionais da saúde para só depois iniciar o tratamento com o fisioterapeuta.

“A nossa profissão tenta devolver a funcionalidade para o paciente. Por exemplo, eu tive uma paciente que tinha dificuldade de abaixar para pegar as coisas na própria casa. Então, a gente conseguiu reabilita a paciente, justamente, para fazer essa função que ela queria. Assim, como diversos outros pacientes com várias questões,” comenta a estudante Ana Favacho.

Para participar do projeto, os interessados devem realizar as inscrições, de forma on-line, por preenchimento de formulário eletrônico, através do e-mail atendimento.colunavertebral@gmail.com ou pelo link disponível no Instagram @cpfm.ufpa. As atividades do projeto são realizadas às segundas e quartas-feiras, das 8h30 às 12h, na Faculdade de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFPA.

.    

Compartilhe !

Id:13445